terça-feira, 31 de janeiro de 2017

E.L.A.



Dia 07 de Fevereiro irá ocorrer a abertura da exposição E.L.A. do amigo/artista Leander Moura na Galeria de Arte do IFRN Cidade Alta. E.L.A. é um projeto de exposição quadrinhos que o Leandro tem desenvolvido a cerca de um ano e meio que trata sobre identidade e personalidade. Estou bem ansioso para conferir a exposição de perto, pois o que tinha visto do projeto do Leandro me deixou bastante instigado. Estão todos convidados!

E.L.A.

Local: IFRN, localizado na Av.  n°1782, Cidade Alta

Dia e Hora: 07 de Fevereiro (Terça-Feira) às 19H

 

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

FIQ- Downloads



E no Dia do Quadrinho Nacional aqui está um presentão do FIQ pra vocês! Foi disponibilizado para download gratuito duas publicações. A primeira é um catálogo de quadrinhos do FIQ 2015 com histórias sobre eventos reunindo trabalhos de vários autores nacionais. A segunda publicação é o FIQ Jovem, fruto do curso de quadrinhos realizado em BH em 2016. As duas publicações tiveram tiragens pequenas e distribuídas gratuitamente durante a comemoração do Dia do Quadrinho Nacional realizada no dia 28 em BH. Felizmente quem não teve como ir, pode baixar a HQ do catálogo neste endereço eletrônico: http://bit.ly/2jmfT6j e do FIQ Jovem neste endereço eletrônico: http://bit.ly/2kK5WAe.

domingo, 29 de janeiro de 2017

Genealogia Poética das Escrituras Sangradas de Civone Medeiros



À partir desta segunda, no Nalva Melo Café Salão, se inicia  a exposição Genealogia Poética das Escrituras Sangradas de Civone Medeiros. Uma arte-instalação reunindo uma seleção de textos, poesias e frases dos Livros Escrituras Sangradas #1 e #2 da multiartista Civone Medeiros. É uma boa oportunidade para começar o ano conhecendo um espaço bem legal além do trabalho desta Poetisa Potiguar agraciada com o troféu Cultura no campo das Artes Visuais no ano passado. A exposição vai até Maio! E sim! Com certeza eu irei pra lá conferir de perto a exposição da Civone! Estão todos convidados!

Genealogia Poética das Escrituras Sangradas 
de Civone Medeiros

Local: Nalva Melo Café Salão, localizado na Av. Duque de Caxias, Ribeira, Natal

Dia e Hora: Vernissage- Dia 30 de Janeiro(Segunda-Feira) à partir das 14H
Horário de visitação- De Janeiro a Maio, de Segunda à Sexta, das 9H às 18H

 

sábado, 28 de janeiro de 2017

Doctor Octopus



Este Fanfilme de 2006 é uma livre interpretação de um pensamento perturbador. O que aconteceria se você fosse atendido pelo Dr. Octopus? Pior! O que aconteceria se o Dr. Octopus fosse o seu dentista? O que amei deste Fanfilme foi a caracterização do personagem!

video
Dr. Octopus

sexta-feira, 27 de janeiro de 2017

Pandora Comic Shop- Sessão de Autógrafos com Geraldo Borges




Hoje Hanna e eu estivemos presentes na Arena Geek para conferir de perto a Sessão de Autógrafos do amigo/artista Geraldo Borges e conhecer a Pandora Comic Shop. Assim que cheguei na Arena Geek fui bem recebido pelo Thiago que mostrou bem o espaço: tem área com games, outra para jogos de card games, jogos de tabuleiro e, claro, a Pandora Comic Shop onde o Geraldo Borges estava autografando. O espaço é bem legal, com várias cartas de Magic e posters de quadrinhos ornamentando a parede, além de diversos títulos de quadrinhos da Marvel, DC, Europeus e títulos de quadrinhos nacionais. Também tinham chaveiros, bottons camisetas e outras coisinhas legais por lá. O espaço ficou pequeno para a quantidade de pessoas que estavam por lá.

Um pouco da diversidade de títulos da Pandora Comic Shop

As coisas estavam movimentadas na Pandora Comic Shop

Geraldo Borges conversando alegremente com as pessoas

E autografando várias revistas

Geraldo Borges estava sendo atencioso com todo mundo e autografando bastante seja Artbooks ou títulos da DC que ele desenhou. Além de edições americanas, também tinham títulos da DC que só chegaram recentemente como o destaque do Evento Batman e Robin Eternos #10 e o encadernado Caça aos Titãs. Quando o público diminuiu um pouco, peguei meu autógrafo na edição #5 de Batman e Robin Eternos. Sempre é legal rever Geraldo em eventos como este, ele é um cara que me ensinou muito tanto como aluno com seu estúdio e escola de desenhos, quanto artista com o seu trabalho e profissionalismo, e como ser humano pela pessoa que ele é. É bem provável que eu fale em breve do trabalho dele por aqui com tanta coisa que ele anda desenhando. O Quadrinhos Estúdio e Escola de Desenho está passando por uma nova fase e José Veríssimo em breve deve dar mais detalhes sobre a inauguração da nova sede em Natal e dos cursos (assim que souber divulgo por aqui).

Olha só quantos títulos o Geraldo Boreges desenhou pra DC!

Geraldo Borges não era o único desenhando na mesa do Pandora

Geraldo e Brum em uma foto natural e expontânea

Geraldo Borges autografando a edição brasileira da revista Batman e Robin Eternos que ele desenhou

"Para meu amigo Joseniz um forte abraço!" (Geraldo Borges)

Depois da sessão de Autógrafos com Geraldo Borges, conversei com Thiago sobre a Pandora Comic Shop. Ele também foi aluno do Geraldo no Quadrinhos Estúdio e trabalha com colorização digital além de cuidar das atividades da Pandora Comic Shop ao lado da esposa. Fiz uma gravação com ele para a 1° Edição da Terceira Temporada do programa Luz nas Trevas que deve entrar ao ar em breve. Um dos grandes diferenciais do mercado de vendas de quadrinhos da Pandora em Natal é que o Thiago faz entregas delivery então, quem estiver interessado pode comprar quadrinhos do Geraldo Borges e outros títulos através da página da Pandora no Facebook: https://www.facebook.com/pandorageeknatal/.

Thiago, o herói por trás da Pandora Geek HQs agora (Pandora Comic Shop)

Foi um evento bem legal, onde conheci com Hanna um novo espaço nerd (com muitas coisas legais), revi amigos/artistas como Geraldo, Brum e Jamal e além disso também conheci melhor o trabalho do Thiago com a Pandora Comic Shop. Que venham mais lançamentos e sessões de autógrafos como esta! É sempre legal quando novos espaços de quadrinhos surgem. E pelo que vi este é apenas o começo do ano! Parabéns ao Thiago por abrir a sua caixa de Pandora em Natal e que saiam dela muitos quadrinhos e momentos legais como este.


quinta-feira, 26 de janeiro de 2017

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Crônicas de Piápolis- Volume 02



E finalmente aqui está o registro de minha segunda visita à República Federativa de Piápolis, uma ilha localizada na América do Sul onde se fala Português e com graves problemas sociais. A revista do autor Alexandre Garcia é voltada para um público adulto e dá continuidade aos eventos mostrados na edição anterior. Novos personagem surgem e os velhos problemas continuam. As histórias são divididas teatralmente em três atos e um Estásimo. O fio condutor que liga todas as histórias e personagens é a especulação imobiliária com suas consequências sociais. Como foi mostrado antes, a ilha possui uma divisão entre Centro Novo e Centro Velho. O Centro Velho era dominado por uma velha elite que teve seus momentos de glórias no passado e hoje não possui o mesmo poder de antes. Hoje o Centro Velho está decadente e vai pouco a pouco perdendo o espaço para o Centro Novo. Já o Centro Novo é dominado por uma nova elite mais rica, que conseguiu o que queria e, na busca de mais poder, quer também o Centro Velho.

"Cabra, as aventuras(e desventuras) em Piápolis continuam! E não perca a máquina fotográfica! Um Abraço!" 
(Alexandre Garcia)

O Primeiro Ato "A (Vã) Conversação" mostra Sotero apresentando para sua família de amigos um projeto para revitalizar o prédio em que vivem. A questão é que o ponto de vista dele é segregativo e entra em conflito direto com seus amigos que possuem um ponto de vista mais humano e inclusivo. Vemos aqui desdobramentos da primeira edição refletirem na família do prédio Florença. Também somos apresentados a uma nova família. A família do Teatro Sagrado Qorpo, da qual Heloísa faz parte. Onde temos um Déjà Vu com um espaço artístico que um dia já foi grande em decadência e pactos com o diabo sendo realizados na esperança de manter o lugar vivo. Desta vez, o Fausto se chama Ísis. O charme das citações e referências literárias e cinematográficas na revista continuam enriquecendo e complementando a história. O filme "Sonata de Outono" de Ingmar Bergman é um bom exemplo disso. Nenhuma citação é gratuita e conhecer as referências torna a leitura muito mais prazerosa.

 
 A melhor adaptação de Fausto com o melhor Mefistófeles de todos os tempos

 No Segundo Ato "As Novas Invasões Bárbaras" as cartas das elites do Centro Velho e do Centro novo são postas na mesa e um coringa pode ser decisivo para cartada final deste jogo de poder. Cada jogador joga com as cartas que tem e as pessoas que não estão jogando ficam em segundo plano. Independente do resultado, são estas pessoas que irão perder do mesmo jeito. É mais uma história de apresentação, com um barril de pólvora prestes a explodir, em que os desdobramentos terão sérias consequências em histórias futuras. O Ato Final "Pequenas Esperanças" retoma os problemas vividos por Hélcio tendo que lidar com o seu Mefistófeles e Heloísa com o retorno de um fantasma do passado. Esta a história que mais gosto por dar continuidade ao que aconteceu na edição anterior e por ser de todas as histórias, a que mostra um aspecto mais delicado e humano aprofundando melhor os personagens de Hélcio e Heloísa. Esteticamente também apresenta os melhores desenhos e brinca mais com a narrativa dos quadrinhos. Há um cuidado especial com os personagens de Hélcio e Heloísa nos desenhos e, tanto suas expressões faciais, como as corporais, eles passam mais a sensação de Catarse que nas outras histórias. Por fim, o Estásimo "Dossiê" apresentam as lendas que circulam em torno de João Calegário, o Coringa possivelmente brasileiro deste jogo de poder. Ainda tenho a impressão que os problemas de desenvolvimento de personagens Piápolis continua sendo nos vilões estereotipados. Enquanto o "vilão" do Centro Velho tem um desenvolvimento bem legal, os "vilões" ainda precisam ser menos estereotipados e melhor desenvolvidos. Eu acho o João Calegário os cornos do Lima Duarte e a impressão que tenho com a história é mais de um ator desenvolvendo vários papéis do que uma pessoa que posso acreditar que existe dentro de Piápolis. Vamos ver o que acontece nos próximos capítulos...

Acho que esta imagem ilustra bem o João Calegário


Assim como na revista, coisas mudaram nestes dois anos entre as publicações enquanto outras permanecem as mesmas. Os desenhos estão bem melhores (com destaque especial para o último ato) e a arte-finalização está bem mais limpa (mas ainda apresenta problemas em cenas mais sombrias). A narrativa de quadrinhos deu uma melhorada significativa com o autor brincando mais com as possibilidades narrativas. Seja com quadros dentro dos quadros de quadrinhos na segunda história para retratar o passado ou o requadro cinematográfico do terceiro ato. O problema de letreiramento foi bem resolvido com letreiramento digital nos textos e letreiramento feito à mão pontualmente nos cartazes, revistas e em outros lugares da cidade. Já quanto ao design da revista, feito por Thiago Silva, apresenta o mesmo problema da edição anterior com tudo bem editadinho na parte interna mas uma capa sem diferencial dos outros títulos do Chroma. E pelo conteúdo da revista, o que me vem à cabeça em se tratando de capa é algo na linha estética presente nos posters de filmes feitos pelo artista Benício ou nas capas de quadrinhos do Will Eisner. Crônicas de Piápolis é um dos quadrinhos indepedentes que mais curti ler e que me identifico bastante como artista. Alexandre Garcia tem muita voz e propriedade no quer dizer nestas histórias. É algo que vou amar acompanhar e que espero que tenha um cuidado especial nas próximas edições. E Crônicas de Piápolis é uma publicação que precisa se destacar visualmente na capa em meio a tantas outras publicações não só do Chroma, mas de outros títulos de quadrinhos. Só externamente pois em seu conteúdo já se destaca muito do que tem sido feito por aqui. Estou ansioso para uma terceira visita a Piápolis!

Crônicas de Piápolis- Volume 02

Uma publicação feita em conjunto com o Projeto Chroma e lançada em Dezembro de 2014

Roteiro e Arte: Alexandre Garcia da Silva
Edição, Revisão e Design: Thiago Silva


terça-feira, 24 de janeiro de 2017

Scooby-Doo! and the Spooky Swamp



Depois de ter zerado o jogo Scooby-Doo! First Frights finalmente tive a oportunidade de zerar a sequência do jogo: Scooby-Doo! and the Spooky Swamp

video
Scooby-Doo! and the Spooky Swamp- Abertura do jogo

Na história, Scooby e Salsicha sentem um cheiro muito gostoso de comida e seguem o doce aroma pelo pântano. Lá eles encontram a Lila que precisa recuperar alguns ingredientes para fazer um ensopado. Scooby e Salsicha resolvem ajudar sem saber das reais intenções da moça linda e em paralelo resolvem mistérios com  a turma. Você pode jogar com Salsicha, Scooby, Daphne, Fred e Velma. Salsicha Rogers luta usando estilingue e pode se pendurar para alcançar lugares mais altos. Scooby-Doo pode lutar Kung-Fu usando um nunchaku de salsicha e atravessar pequenas tubulações para alcançar outros níveis. Fred Jones é porradeiro e pode empurrar caixas além de girar a roda do Conan. Daphne Blake também é porradeira e pode subir pelos encanamentos mais altos e se pendurar em cordas. Velma Dinkley luta jogando livros e pode usar as máquinas destravando códigos. As habilidades específicas são as mesmas do jogo anterior, com a única diferença é que eles agora podem segurar e arremessar objetos. Graficamente o jogo é mais bonito, o som é melhor e o desafio bem maior que o jogo anterior (mas em se tratando de diversão, prefiro o anterior). Desta vez, o número de episódio é menor com apenas três mistérios a resolver.

 Salsicha e Scooby ajudam em paralelo Lila para que ela termine seu ensopado

El Muncho, que é tipo no México, é o primeiro lugar ode a Mystery Machine vai com a turma e lá precisam desvendar o mistério por trás do El Scaryachi que está assombrando a cidade.

 
 A turma já começa o jogo presa e precisa resolver altas tretas pra sair da cadeia

 Corre Scooby! Correeee!!!!

 
 Estejam preparados para enfrentar El Scaryachi!

Howling Peaks é o segundo local onde a Mystery Machine vai. Por lá revemos Anna, prima de Daphne que apareceu no jogo anterior, encrencada desta vez com o aparecimento de um Yeti que está assustando os turistas das montanhas.

 
 Bonecos de Neve são do Mal!

 
 Cuidado com o Yeti!

Swamp é onde se encerra a história do jogo e descobrimos as reais intenções da linda Lila ao obter os ingredientes coletados por Salsicha e Scooby. Os objetivos dela tem ligação direta com o monstro que assombra o Pântano.

 Repare só como os gráficos do jogo são bonitos!

Pra onde a gente vai Scooby?

 
E o monstro finalmente foi revelado! Enfrente-o e curta o final!

A diferença básica deste jogo para o anterior é que apesar do número de fases ter diminuído a quantidade de coisas para fazer e completar o jogo 100% aumentou consideravelmente. Para completar tudo é preciso fotografar todos os chefes, amigos e inimigos que aparecem no jogo, achar e tirar fotos de todos os fantasmas, coletar todos os ingredientes de sanduíche, coletar todos os medalhões, encontrar e abrir todos os baús, coletar todas as letras do S-C-O-O-B-Y, conseguir todos os troféus do jogo, completar minigames, descobrir quem é o vilão das fases e coletar todas as máscaras dos vilões na quantidade pedida. E se você quer conseguir todas as roupas vai ter que fazer tudo isso, comprar algumas roupas com biscoitos escooby e ainda encher o saco do sapo francês Philippe com muita conversa no Pântano,  Howling Peaks e El Mucho para que ele entregue um acessório de roupa nestas três fases. Demora um pouco mais que o jogo anterior conseguir tudo, mas ele é tão divertido quanto o primeiro jogo. Scooby-Dooby-Dooooo

Scooby-Doo! and the Spooky Swamp
Ano: 2010
Plataforma: Playstation 2
Produtora: Torus Games
Distribuidora: Warner Bros. Interactive Entertainment


segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Universo DC nos Cinemas


Durante um bom tempo a DC reinou em absoluto nos cinemas com filmes de heróis inspiradores, mas hoje eles são apenas sombras daquilo que um dia já foram em filmes fracos. O grande vôo veio com Superman (1978) dirigido por, com Cristopher Reeve fazendo acreditar que o homem pode voar. E o Batman (1989) dirigido por Tim Burton, com Michael Keaton representado o personagem de uma forma bem sombria (e que foi a maior influência para a animação de sucesso nos anos 90) quebrando o estigma humorístico da série de TV dos anos 60. Claro que rolaram outros filmes antes destes como o do Superman de George Reeves e o Batman de Adam West e também de outros heróis como o da Supergirl (1984) e do Mônstro do Pântano (1982) mas, nenhum deles teve o mesmo impacto no cinema e cultura Pop que estes filmes do Batman e do Superman. Reparem que até então, a Warner investia pesado no cinema apenas nestes dois personagens, de um rico universo construído nos quadrinhos. Os outros heróis como o Flash, corriam por fora...

A Luz e as Trevas do universo DC nos Cinemas

Lembrando que o Universo DC é bem maior!

Com Christopher Reeve em uma cadeira de rodas, sem ninguém à altura para substituí-lo nos cinemas (mesmo antes disso a franquia não estava indo bem), e com o Batman sendo mais alegre nos filmes do Schumacher, os filmes de herói da DC foram sepultados por um bom tempo. O mais próximo do Superman foi o filme Steel e só era possível ver uma adaptação do Batman legal nas animações. Corria nos bastidores da Warner que aconteceria um crossover entre os personagens no cinema, mas isso não ocorreu. Bem que tentaram trazer o Superman de volta com o projeto Superman Lives, mas acabou não dando certo. Os relatos de Kevin Smith sobre os bastidores do filme (e que explica muita coisa sobre a Warner) são um show à parte. E enquanto isso a Marvel firmou seus heróis no cinema com Blade (1998), X-Men (2000) e Homem-Aranha (2002).

Perdemos a chance de ver este grande filme com o Nicolas Cage

video
Kevin Smith falando sobre Superman Lives- Parte 1

video
Kevin Smith falando sobre Superman Lives- Parte 2

Até o momento, este é o filme oficial da liga!

Também circulavam nos bastidores um novo filme do Batman. O filme acabou sendo realizado pelo Cristopher Nolan ,que teve a iniciativa de apresentar sua visão autoral do Batman para Warner. O filme Batman Begins (2005) obteve um bom retorno e o Batman atingiu o seu ápice com o Cavaleiro das Trevas (2008). O oscar póstumo do Coringa do Ledger elevou o patamar das premiações de filmes de heróis, antes limitados a prêmios técnicos. Não que o Ledger tenha sido o primeiro ator indicado ao Oscar com um filme de herói dos quadrinhos (Al Pacino já tinha conseguido isto nos anos 90 interpretando o "Big Boy" do filme Dick Tracy), mas ele foi o primeiro a ganhar. Sem falar que o Cavaleiro das Trevas do Nolan é algo tão bom que nem a sequência The Dark Knight Rises (2012) conseguiu superar o filme anterior em termos de qualidade (mas fechou bem a trilogia de uma boa forma, pondo um fim na história do Batman/Bruce Wayne). A DC tentou colocar outros heróis no cinema sem ligação com o a trilogia do Nolan com Superman Returns (2006) e Lanterna Verde (2011), mas não obtiveram sucesso. Em paralelo, a Marvel criou o Marvel Studios apresentou sua primeira fase com Homem-de-Ferro (2008), O Incrível Hulk (2008), Homem-de-Ferro 2 (2010), Capitão América: O Primeiro Vingador (2011) culminando no estrondoso sucesso do filme dos Vingadores (2012). Isto tudo fora o sucesso de seus heróis como Blade, X-Men e Homem-Aranha nas mãos de outros estúdios. São muitos dinheiros!

The Dark Knight é um filme foda! Ele não funcionaria, se por exemplo, o Harvey Dent não fosse bem interpretado

 A Warner iniciou com o Homem de Aço (2013) uma nova fase da DC nos cinemas seguido por mais dois filmes Batman V Superman: Dawn of Justice (2016) e Esquadrão Suicida (2016). Os três filmes juntos custaram US$650 milhões e se pagaram, mas o lucro obtido não foi o esperado (ainda mais depois dos lucros obtidos com o Universo Cinematográfico da Marvel). E a recepção da crítica e do público não foi muito positiva. Nenhuma das três bilheterias chegam perto do lucro que a trilogia dos filmes Batman, dirigidos por Christopher Nolan trouxe para os cofres da Warner. Só o Cavaleiro das Trevas, por exemplo, foi o primeiro filme de herói a ultrapassar a casa do Bilhão! Eu disse Bilhão!

O verdadeiro herói que inspira as pessoas em o Homem de Aço

A Trindark de heróis da DC

O que acontece é que depois da Trilogia do Nolan, os outros heróis da DC estão tendo uma abordagem sombria e pé no chão como se fossem todos filmes do Batman (mesmo ele tinha suas liberdades criativas). Tanto é que na sequência do filme do Superman, incluíram o Batman (anunciado na Comic-Con e inspirado no Cavaleiro das Trevas de Frank Miller) e depois mudaram tudo e colocaram a Mulher-Maravilha além de outros heróis como o Flash fazendo uma ponta, pra acelerar o processo de um filme da Liga da Justiça. E o Marketing do Esquadrão Suicida foi centrado na Arlequina e no Coringa (com um Hype muito grande no Jared Leto depois da interpretação do Heath Ledger). Sem falar que, a maioria dos vilões é da galeria de vilões do Batman, que faz uma ponta no filme. É o universo DC nos cinemas vivendo na sombra do Batman. É aquela coisa, quando finalmente colocam um pouco de luz e diversão fazem isso no filme do Esquadrão Suicida... As coisas finalmente parecem que vão mudar com o filme da Mulher-Maravilha, que não teve nada de Batman nele (até agora).

Um pouco mais de Luz no Universo DC dos cinemas!


Na TV aconteceu o contrário dos filmes desta fase do Nolan, com o universo DC sendo integrado e expandido tanto nas animações como nas séries. As conexões entre os heróis da DC aconteciam organicamente na animação sem a obrigação de ter uma história de origem. Mesmo os personagens menos conhecidos como o Questão, eram bem apresentados em poucos minutos de desenho. Mesmo o desenho dos Jovens Titãs em Ação que é voltado para zoeira leva em consideração os outros personagens e desenhos realizados usando metalinguagem. A série do Arqueiro, que era pra ser uma série do Batman que não foi aprovada por causa dos filmes do Nolan obteve êxito. E quando surgiu o Flash a coisa ampliou e ficou com mais cara de quadrinhos com o Flash enfrentando Gorila, viajando no tempo e indo para outras terras. Também veio no embalo a Supergirl, Constantine e outros personagens pra fazer uma ponta. Tudo integrado, divertido, e sem  descaracterizar os personagens. E com o sinal verde liberado com o sucesso das séries, tem até Superman!

 A Liga que vale

 
 O Flash de duas Terras

 
 A Corrida do Século...

 E tem até referência a Crise nas Infinitas Terras! Tudo isso nas séries de TV!

 Como fã do Universo DC (uma criança que tem como primeiro quadrinho Crise nas Infinitas terras ou ama ou odeia este universo), eu fico torcendo para uma melhora dos filmes no cinema. E nos quadrinhos também! Porque desde os Novos 52, no qual a formação do filme da liga é inspirada, que estou esperando por mais coisas legais pra ler. Pra mim, os filmes definitivos do Batman e do Superman já foram feitos e o que está vindo agora é puro entretenimento. O filme do Homem-de-Aço finalmente teve cenas de ação fodas com o Superman. O Filme do Batman V Superman me permitiu ver finalmente os dois se batendo no cinema. E o filme do Esquadrão Suicida... Porra! Fizeram finalmente um filme com o Esquadrão Suicida! Os três filmes tem suas falhas (muitas falhas) mas estão fazendo dinheiro suficiente para seguir com os planos de mais filmes de heróis da DC. E isso é bom porque pode dar merda e eles acabarem fazendo filmes fodas! Mas precisam correr contra o tempo. São tantas possibilidades: um filme zoeira com Lobo, um sitcom com a liga engraçadinha, um Road Movie com o Arqueiro e Lanterna Verde, filmes Noir com os policiais de Gotham, Terra 2, Injustice... Se perderem a corrida, podem tentar um novo começo zerando o universo com o Flash ou uma Crise bem diferente da Crise Criativa que a Warner e a DC estão tendo.

 
 Fale o que quiser do filme, mas ver isto nos cinemas foi legal!

 Corre Flash! Correeeee!!! Altera a realidade dos 3 primeiros filmes!!!

No calendário estão: Mulher-Maravilha em Junho de 2017 (acredito que o filme vai ser foda porque a diretora é fodona!); Liga da Justiça- Parte 1 em Novembro de 2017 (ainda acho que o da Mulher-Maravilha vai ser melhor); The Flash em 2018; Aquaman em 2018; Shazam em 2019; Liga da Justiça- Parte 2 em 2019; Cyborg em 2020 e Tropa dos Lanternas Verdes em 2020. Fora os boatos de um filme do Batman,Superman,Gotham Sirens, Liga da Justiça Dark e de até um filme com o Adão Negro. Pelo que vemos nos trailers da Mulher-Maravilha e da Liga da Justiça. Finalmente tem mais identidade nos personagens, mais humor e um pouco mais de Universo DC. Até agora, o filme do Esquadrão Suicida, por pior que seja, é o que chegou mais fiel na caracterização de personagens da DC. O filme do Homem de Aço é o que tem o melhor roteiro. principalmente por conta dos Kryptonianos. E a luta do Batman V Superman foi legal. Zack Snyder sabe caracterizar bem o visual dos personagens com uma boa cena de ação, mas na hora de dirigir como um todo, é como um Superman descontrolado destruindo tudo o que tem pela frente. Tem muita idéia legal nos filmes da DC mas está faltando uma boa execução. Vamos ver o que acontece...

 Teremos um futuro iluminado para os filmes com os heróis da DC?
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...